Logotipo Real Gramas

Como Adubar a Grama

Dicas de adubação

Recomenda-se fazer a adubação da grama pelo menos a cada três meses para manter os níveis de nutrientes sempre disponíveis para a grama.

Conforme o tempo passa, a fertilidade do solo cai devido à perda dos nutrientes principalmente causadas pelas chuvas e intempéries que acabam “lavando” a superfície do solo.

  1. O primeiro passo antes do início da adubação da grama é podar a grama.
  2. Dicas de como podar a grama poderá se encontrada em “Dicas de como podar a grama”.
  3. Após a poda, a grama pode ser adubada com substrato e fertilizante. Os substratos corrigem o pH (acidez) do solo, repõem o nitrogênio e magnésio que são essenciais no desenvolvimento das plantas, além de melhorarem a capacidade de retenção da água e a aeração do solo.
  4. A TERRA ADUBADA é ótima para manter a grama sempre bonita e saudável ajudando na manutenção e recuperação de gramados.
  5. A TERRA ADUBADA pode ser usada também para cobrir a grama bastando espalhar por todo o gramado. Este processo é recomendado para ser realizado pelo menos uma vez por ano e de preferência no início do inverno.
  6. Dica: A Real Gramas também fornece TERRA ADUBADA em sacos de 30 kg e 50 kg, prontas para serem utilizadas. 
  7. A grama deve ser regada abundantemente, principalmente nos primeiros 30 dias.
Os adubos

Existem no mercado dois principais tipos de adubos: o químico e o orgânico.

 Os adubos orgânicos são aqueles formados pela decomposição de matéria de origem animal ou vegetal tais como o esterco, farinhas, bagaços, cascas e restos de vegetais, que podem ser produzido pelo home por meio de compostagem.

 Já o adubo químico, conhecido também como adubo inorgânico, são adubos obtidos a partir da extração mineral ou refino do petróleo, tais como os fosfatos, carbonatos, cloretos e o salitre do Chile.

O adubo químico pode ser encontrado no mercado como Fertilizante NPK  (N = nitrogênio, P = fósforo, K = potássio) e pode ser encontrada em diversas formulações. Geralmente, recomenda-se usar a composição NPK 10-10-10 (50 g/m2) que oferece uma composição equilibrada para a sua grama. Porém, vale lembrar que este fertilizante é muito forte e não deve ser misturado ao solo, e sim, os grânulos devem ser jogados por sobre a grama para evitar que ela entre em contato com a raiz da grama. Os nutrientes serão absorvidos pelo solo e grama conforme a grama é regada.

Vantagens e Desvantagens

A vantagem do adubo orgânico está em seu tempo de duração no solo. Geralmente o adubo orgânico é misturado ao solo para torná-lo mais fértil. Porém, a absorção dos nutrientes ocorre de maneira mais lenta requerendo um tempo maior para ser absorvido. Uma outra vantagem de se usar o adubo orgânico está em seu modo de preparo. Uma vez que ela é preparada pela compostagem, resíduos urbanos de origem orgânica são reciclados minimizando assim o lixo produzido nas cidades e diminuindo a quantidade de restos orgânicos que podem terminar nos rios.

 A vantagem no uso do adubo químico está em seu fácil manuseio e pela sua rápida absorção pelo solo, uma vez que os nutrientes se apresentam na forma iônica. Além disso, pode-se calcular para cada caso, a composição química necessária para a adubação de solos específicos.

Porém, devido à sua rápida absorção, o efeito do adubo químico dura pouco requerendo uma adubação mais frequente, a cada 3-4 meses.

Além disso, o uso excessivo do adubo químico pode causar desastres ambientais mudando a composição do solo que, ao contrário, pode torná-lo menos produtivo causando danos ao ecossistema.

 Uma dica é saber conhecer bem as propriedades do o solo em que se está trabalhando realizando uma combinação equilibrada no uso de adubos orgânicos e químicos.

Em caso de dúvidas, consulte um agrônomo ou engenheiro agrônomo.

Deixe seu comentário